Serviço Militar

Serviço Militar | Imagem: Soompi

Quem acompanha o universo do show business sul coreano já foi surpreendido com a notícia de que seu ator, cantor, jogador (ou seja: quase todos os homens) favoritos se ausentaria para o serviço militar obrigatório. Bom, hoje, aqui no BrazilKorea, nós entenderemos um pouco mais sobre esse universo da Coreia do Sul.

O serviço militar obrigatório coreano

“Todos os cidadãos têm o dever de defesa nacional nas condições prescritas pela lei”, é o que a constituição sul coreana, datada de 17 de julho de 1948, prevê em lei.

À grosso modo, isso significa que todo cidadão coreano entre 18 e 28 anos deve prestar o serviço militar de até 21 meses, como uma forma de contribuir para a segurança e soberania da nação.

Tipos de alistamento militar

As Forças Armadas da República da Coreia, também conhecidas por ROK (sigla do inglês: Republic of Korea Armed Forces), é composta por três ramos principais que variam no tempo de serviço.

  • Exército (대한민국 육군): 1 ano e 6 meses
  • Marinha (대한민국 해군): 1 ano e 8 meses
  • Força Aérea (대한민국 공군): 1 ano e 8 meses

Também há um quarto tipo, são os soldados chamados de “suplentes” ou os de “serviço ao cidadão”. Normalmente esta opção é destinada aos soldados que, por algum motivo de saúde seja física ou psicológica, não podem receber atribuições de atividades ativas. Logo, a estes, fica incumbido trabalhos de serviço público em locais que exigem auxiliares, como os centros comunitários da Prefeitura, de demais órgãos governamentais e instalações públicas como as estações de metrô.

É o caso do Suho, líder do EXO, que assumiu como oficial de serviços públicos em maio desse ano devido a um problema de visão que dificultaria suas atividades como soldado ativo. Kim Heechul, da Super Junior, também cumpriu seu serviço militar como um funcionário público, em 2013. Heechul foi alocado à posição como resultado de um acidente de carro que deixou seus movimentos da perna direita limitados.

Serviço Militar

Serviço Militar | Imagem: Divulgação

Um pouco de história

A origem das Forças Armadas Coreanas data de 1940. Quando o Exército de Independência da Coreia foi firmado pelo governo provisório em exílio na China, durante os anos finais da ocupação japonesa. Esse exército foi um ensaio de resistência ao colonialismo que oprimia o povo na época.

Leia mais sobre a Libertação da Coreia.

Logo depois, quando a Coreia foi libertada, a Polícia Coreana e a Guarda Costeira foram criadas pelo governo vigente, formando oficialmente as Forças Armadas em 1948.

  • 1950

Com a eclosão da Guerra da Coreia em 1950, a divisão entre Norte e Sul forçou os dois lados a investirem nas suas forças militares. Portanto, contando com o apoio dos Estados Unidos, a Coreia do Sul rapidamente se desenvolveu, apesar de contar inúmeras perdas em batalha.

  • 1970 e 1980

Na década de 70, o Sul já se tornava autossuficiente no quesito poder bélico. Com o “Plano Yulgok”, os militares se modernizaram, investindo em tecnologia para reforçar a defesa nacional.

  • 1990 e hoje

Dessa forma, nos anos 90, as indústrias sul-coreanas já forneciam cerca de 70% das armas, munições, comunicações e outros tipos de equipamentos, veículos, roupas e outros suprimentos necessários aos seus militares.

Assim, hoje, as ROK são formadas de uma boa mistura entre armamento de tecnológico inovador e força bélica convencional, ou seja, armas mais antigas.

Os soldados podem ter outras ocupações?

A partir do momento em que se inicia o serviço militar, espera-se que o soldado tenha foco total nas suas atividades internas. Portanto, com exceção de alguns dias de folga para que o soldado visite a sua família ou mesmo receba a visita de amigos, ele não se ocupará com outras funções.

É por isso que um Idol, quando anuncia seu alistamento militar, quase que imediatamente se afasta do grupo do qual é integrante, pois sua missão agora será com o seu país.

Mas e as dispensas?

Claro, para quase toda regra há exceções. E as mais famosas são relacionados aos que, de alguma forma, já contribuíram à soberania nacional. É o caso do jogador de futebol Son Heung Min. Em 2018 ele ajudou seu país a ganhar a final dos Jogos Asiáticos, levando para casa o título da competição.

Assim, Heung Min realizou seu alistamento militar para cumprir a primeira fase de treinamento: três semanas de aprendizado sobre noções de armamento químico, biológico e radiológico, primeiros socorros e técnicas de combate.

Hoje, Son Heung Min segue com sua carreira de jogador no time inglês Tottenham, aguardando um momento mais adequado na sua agenda para cumprir sua obrigação remanescente com a Coreia do Sul: 544 horas de serviços comunitários nos próximos três anos.

Serviço Militar

Serviço Militar | Imagem: Fuzileiros Navais da Coreia do Sul

Números sobre as Forças Armadas da República da Coreia

A Coreia do Sul figura no hall dos países com maior poderio militar. Assim, exibindo um efetivo de quase 3 milhões e 699 mil de soldados, sendo quase 600 mil ativos e mais de 2 milhões na reserva. Dessa forma, o país se orgulha de ter um dos maiores orçamentos de defesa do mundo, chegando a quase 44 bilhões de dólares estadunidenses.

Então o que nos resta como fãs é esperar e torcer para que tudo dê certo durante o serviço militar do nosso fav.

Fonte: BBC; The Diplomat; 90 Day Korean; Wikipédia e Globo Esporte.

avatar
About Juliana Vicente

(Fortaleza/CE) Jornalista cearense apaixonada por cinema, culturas, história e literatura. Escreve por vocação e sonha alto na esperança de fazer do mundo um lugar melhor.

2 Responses to O serviço militar obrigatório chegou. E agora?
  1. avatar

    Estou amando saber mais sobre a Coreia.
    Parabéns pela matéria!


[top]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: