III Concurso

    Vencedoras do III Concurso de Ensaios de Literatura Coreana | Fotos cedidas pela ANE

O III Concurso de Ensaios Literários premiou os melhores ensaios redigidos com base em “Nossas Horas Felizes”.  Em entrevista ao BrazilKorea, as vencedoras falam sobre o contato com a literatura coreana e a abordagem que deram a seus ensaios.

Dos nove ensaios finalistas do III Concurso de Ensaios de Literatura Coreana, realizado em Brasília, três foram premiados. A seleção ficou a cargo de uma comissão de escritores-membros da Associação Nacional de Escritores – ANE. Instituição parceira do LTI Korea na realização do concurso desde sua primeira edição na capital. Já o reconhecimento foi feito em cerimônia realizada no Auditório Cyro dos Anjos, na ANE. Que contou com a presença do Ministro Kwon Young Seup da Embaixada da Coreia. Conheça agora as autoras dos trabalhos premiados!

1º LUGAR – DELLANA WOLNEY

Dellana Wolney é jornalista e trabalha como redatora em uma agência de marketing. Amante da literatura, nos conta que seu primeiro contato com a vertente coreana foi por meio da obra “A Vegetariana” de Han Kang. Desde então, passou a se debruçar em leituras clássicas e modernas da Coreia já publicadas no Brasil. Uma delas, “Nossas Horas Felizes” de Gong Ji Young.

Ela relembra o contexto da inscrição no concurso, “em uma madrugada perto do prazo final da entrega”, onde desenrolou a peça que mais tarde foi vencedora do primeiro lugar. O enfoque foi na essência dos personagens em contraste com as mazelas da sociedade atual. Que são exploradas em obras como a do filósofo coreano Byung Chul Han, autor de “A Sociedade do Cansaço.” Outro ponto que ganhou destaque no ensaio de Dellana foi o sistema penitenciário coreano. Para ler o ensaio na íntegra, clique AQUI!

A literatura é mágica […] Ler e interpretar nos faz refletir, aprender e nos torna mais flexíveis com a liberdade de se expressar […] Livros curam! Para quem ama a cultura coreana, assim como eu, a minha dica é se aprofundar mais na literatura, na história, no cinema, nos costumes e na gastronomia desse país. Coreia do Sul vai muito mais além. Garanto que vale a pena!

2º LUGAR – HAYANNE CARNIEL

Já Hayanne Carniel, universitária movida pelo interesse em diferentes idiomas e culturas, teve seu primeiro contato com a literatura coreana por meio do livro de Gong Ji Young. O enredo tocante e complexo, que propõe tantas reflexões a envolveu tanto, que se tornou uma de suas leituras preferidas.

Entretanto, apesar de gostar de escrever, ela nunca havia participado de um concurso. Por isso, sentiu-se insegura a primeiro momento. Porém, decidiu que se a obra a tocasse, ela inscreveria seu ensaio. Sua abordagem tão genuína baseada nas impressões que teve do livro, foi reconhecida pelo júri que concedeu então, o prêmio de 2º lugar:

Escrevi mais sobre o sentimento, a autorreflexão que acredito que a autora quis transmitir. Por isso intitulei o ensaio como “Uma parte de nós”. Gong Ji Young nos faz refletir sobre o nosso sentimento de superioridade em relação ao outro e como somos julgadores.

Hayanne abordou também sobre as estruturas de um sistema punitivista que acaba detendo o destino de uma pessoa.  Além de colocar em questão a passibilidade de falhas e injustiças. Para ler o ensaio na íntegra, clique AQUI!

3º LUGAR – VANESSA PACHECO

A historiadora Vanessa Pacheco, que conquistou o terceiro lugar no concurso, é também leitora assídua. Contudo, seu primeiro contato com a literatura coreana é recente, apesar de já possuir uma imersão Hallyu, por meio dos K-Dramas e também dos estudos coreanos há algum tempo.

A motivação para participar do III Concurso de Ensaios de Literatura Coreana em Brasília, veio do desafio de ler, pela primeira vez, uma obra coreana. Um desejo anterior que alimentava e que foi unido a possibilidade de compartilhar experiências sobre a cultura coreana com outras pessoas.

Seu ensaio abordou a jornada de vida aparentemente diferente de duas pessoas, que em algum momento se encontram. Além de fazer uma discussão sobre as injustiças sociais e a pena de morte na Coreia. Para ler o ensaio na íntegra, clique AQUI!

“Nossas horas felizes” é uma história que todos podemos compreender. E, dependendo do leitor, ele/a pode se sentir imerso nos dramas pessoais de Yunsu ou Yujeong. Para mim, a história de Yunsu foi muito emocionante.

A obra escrita por Gong Ji Young, que foi tema do III Concurso de Ensaios de Literatura Coreana, pode ser adquirida no site da Editora Record. Bem como nas principais livrarias em todo o Brasil.

avatar
About Barbara Brisa

Editora de conteúdo (Brasília) - Cientista Social pela Universidade de Brasília, Repórter Honorária pelo Centro Cultural Coreano do Brasil e Co-Fundadora do Maūm Ūmsik. Em constante estudo pela compreensão das coreanidades.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: