Yun Suk Nam

Imagem: http://www.koreaherald.com/

Yun Suk Nam é conhecida como a pioneira da arte feminista na Coreia do Sul. Aos 40 anos, em busca da razão de sua própria existência, ela encontrou refúgio em suas pinturas sobre mulheres e mães.

Yun Suk Nam (윤석남) nasceu em 1939 na Manchúria, China, durante a ocupação japonesa na Coreia. Aos seis anos, ela retornou a Coreia tendo uma vida comum. Com 28 anos de idade, Yun se casou e passou a viver com a família de seu marido. Para outros, sua vida como uma esposa de classe média era invejável, mas ela sentia “sede” de encontrar a prova para sua existência e a sua identidade como mulher.

Em 1979, com 40 anos, Yun Suk Nam começou a pintar e descobriu a si mesma através da arte.  Com a pintura, ela pôde responder as questões que sempre a rodeavam desde criança, em relação a sua existência e seu proposito de vida.  Ela criou em sua casa “um quarto para ela mesma”, onde ela apenas pintava e pensava.

A mãe de Yun foi o primeiro tema de suas pinturas. Ela pintava sua mãe duas vezes na semana, as vezes como uma garota de 19 anos, como uma trabalhadora cansada, uma senhora elegante vestindo um Hanbok ou uma mulher idosa encolhida como um bebê.

“Eu decidi pintar a minha mãe, porque é a pessoa que eu mais respeito e amo no mundo.  Eu pensei que se eu não a pintasse, quem a pintaria? Minha mãe se tornou viúva quando ela tinha 39 anos. Depois que meu pai faleceu, ela teve que cuidar 6 de crianças na rua. Ela basicamente construiu uma nova vida do zero. Realizando todos os tipos de trabalhos, desde fazer tijolos para construir uma nova casa, a vender produtos no mercado”, disse Yun em entrevista ao Korea Herald.

Yun Suk Nam realizou sua primeira exposição em 1982. Esta chamou a atenção de duas artistas e ativistas que a convidaram para realizar uma segunda exibição, hamada de “From Half to One”. Realizada em 1986, marcou o início da arte feminista na Coreia do Sul.

Yun revelou que antes não sabia o que era feminismo e a única coisa que ela fez foi pintar sobre sua mãe. Quando começaram a rotular seu trabalho como arte feminista, ela percebeu que havia uma ligação entre a arte que ela fazia e a sociedade em que ela vivia, então, ela e outras feministas, formaram grupos para estudar o feminismo academicamente e realizar discussões sobre estas questões. Nisso a autora encontrou fundamento teórico para suas obras.

Em 1996, Yun Suk Nam participou da Bienal de Veneza com a instalação chamada de “A história de uma mãe”. Ela ganhou o Lee Jung Seop Art Award e se tornou a primeira artista mulher a ganhar este prêmio.

“Um aspecto incomum sobre a vida de Yun é que ela começou sua carreira com 40 anos de idade. Esta é a época que muitas outras mulheres coreanas estão cuidado das tarefas da família. Ela decidiu se tornar uma artista para descobrir a si mesma e construir sua própria identidade. Yun Suk Nam dedicou sua vida para fazer arte, alcançar a igualdade de gênero, ajudar a transformar as praticas culturais e sociais”, escreveu John Caruso em seu artigo sobre a autora.

Confira algumas de suas obras no vídeo abaixo:

 

Para conhecer mais sobre a artista e suas obras, acesse seu site oficial.

Fontes: YUN SUKNAM, TheKoreaHerald e Jonah

avatar
About Laryssa Miranda

Editora de Conteúdo (Brasília) - Estudante de Relações Internacionais (UnB). Apaixonada por línguas estrangeiras, doramas e variety shows. No futuro pretende escrever sobre relações bilaterais entre o Brasil e a Coreia do Sul.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.