olimpíadas e paralimpíadas

Imagem: Korea Net

As olimpíadas e paralimpíadas de inverno que ocorreram em PyeongChang, na Coreia do Sul, entraram para a história. Recordes foram quebrados, medalhas foram conquistadas e muitos momentos marcaram a competição. O evento recebeu atletas de 92 países e foi a maior edição dos jogos de inverno até o momento.

Os Jogos Olímpicos de Pyeongchang 2018 foram altamente elogiados por sua gestão, performance e as inovações de alta tecnologia. Destacando-se as redes sem fio 5G, robôs e drones. Além disso, atletas das duas Coreias marcharam juntos na Cerimônia de Abertura pela primeira vez em 11 anos e formaram um time único de hóquei no gelo feminino.

Abaixo, confira alguns dos momentos memoráveis das olimpíadas e paralimpíadas:

 Olimpíadas

O atleta norte-americano de esqui freestyle halfpipe, David Wise, fez um retorno triunfal levando o ouro em PyeongChang. Na edição anterior em Sochi, ele também levou ouro, porém, sofreu uma concussão desmaiando, e ficou sem competir por um tempo.
A atleta norueguesa, Marit Bjorgen, venceu o esqui cross-country feminino após percorrer 30 km. Na modalidade levou um total de cinco medalhas, incluindo, duas de ouro, chegando a marca de 15 medalhas olímpicas na carreira. Ela ultrapassou o recorde de seu conterrâneo, Ole Einar Bjorndalen (13 medalhas), sendo a atleta com mais medalhas na história dos jogos olímpicos de inverno.

A coreana-americana, Chloe Kim, de 17 anos, venceu no halfpipe se tornando a atleta mais jovem da história a ganhar a medalha de ouro na modalidade.
O coreano Yun Sungbin, conhecido como “Homem de Ferro”, tornou-se o primeiro asiático campeão olímpico no skeleton.

Seun Adigun e Ngozi Onwumere, representaram a Nigéria no bobsleigh. As atletas não conquistaram medalhas, mas foram a primeira equipe africana desse esporte nas olimpíadas.
Tina Weirather, conquistou medalha de bronze na corrida feminina de Super G, modalidade do esqui alpino, sendo a primeira medalha que o Liechtenstein conquista em 30 anos. A última vez foi nos jogos de 1988 em Calgary.

Paralimpíadas

Stephanie Jallen, dos EUA, emocionou a todos ao competir no combinado de esqui alpino feminino. A atleta que só possui os membros do lado direito do corpo, terminou a corrida em quinto lugar.

A equipe coreana de curling em cadeira de rodas teve uma empolgante trajetória, chegando a disputar a medalha de bronze contra o Canadá, onde perdeu por 3 a 5. A Coreia do Sul terminou em quarto lugar, mas conquistou o carinho da torcida.
Os chineses Liu Wei e Wang Meng comemoraram muito após vencer a Noruega por 6 a 5, na final do curling de cadeira de rodas. Essa foi a primeira medalha de ouro que a China obteve em uma paralimpíada.

Canadá e Estados Unidos se enfrentaram na final de hóquei no gelo em cadeira de rodas. Em uma disputa acirrada, as equipes jogaram até a exaustão. Devido ao empate, a partida teve de ser prorrogada. No tempo extra, após marcar um gol, os EUA venceram, levando a sua terceira medalha de ouro consecutiva.
Na disputa pela medalha de bronze, entre Coreia e Itália, os donos da casa se saíram melhor vencendo por 1 a 0. Um dos momentos mais emocionantes foi durante a execução do hino sul-coreano, onde os atletas choraram.

Glossário das Olímpiadas e Paralimpíadas de Inverno

Halfpipe – Uma estrutura côncava, destinada a prática de desportos radicais, como o skate, snowboarding, ski, patins ou BMX. Pode ser esculpido em áreas de neve e terra.

Esqui Cross-Country – Uma corrida de esqui alpino onde os atletas percorrem grandes distâncias com o objetivo de completar a prova no menor tempo possível. É praticado em encostas íngremes de montanhas.

Super-G – Assim como o esqui cross-country, é uma corrida de esqui alpino, porém, não se percorre grandes distâncias.

Skeleton – Modalidade onde os competidores descem por uma pista de gelo, deitados de barriga para baixo em um trenó. Para manter a velocidade, são utilizadas sapatilhas especiais, com agulhas para perfurar a superfície da pista, facilitando assim o equilíbrio do atleta. Os trenós chegam a 150km/h.

Bobsleigh – É uma variação do skeleton, com equipes de duas ou quatro pessoas que descem por uma pista de gelo em um trenó, cuja única diferença é que neste as pessoas vão sentadas.

Curling – Esporte coletivo praticado em pista de gelo. O objetivo é lançar pedras de granito o mais próximo possível de um alvo circular, chamado de “casa”. A meta é fazer com que a pedra de seu time fique mais perto do círculo do que a do adversário.

Fontes: korea net e olympic channel

 

avatar
About Sonia Cury

Editora de Mídia Social - Newsletter (São Paulo) - Jornalista. Apaixonada por esportes e uma estudiosa da cultura coreana. Gosta da vida urbana e desse contraste de caos e cores. Viajar para outros países e aprender com outras culturas é sua meta de vida.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.