MasterChef Brasil

Dolsot Bibimbap | Reprodução: MasterChef Brasil

Foi ao ar nesta terça feira (30 de outubro), o 11° episódio da terceira temporada do MasterChef Brasil. A culinária coreana foi uma das protagonistas na competição que desafia cozinheiros profissionais.

Após uma prova de equipes intensa no MasterChef Brasil, avaliada por quinze dos mais renomados chefes brasileiros; os cozinheiros da equipe vermelha (André, Adriana, Roberta e William) não garantiram lugar no mezanino, seguindo para a prova de eliminação.

O Teste de Habilidade exigiu que eles preparassem em 25 minutos, cinco proteínas ao ponto desejado pelos jurados. E o melhor, teria a possibilidade de subir para o mezanino. Entretanto, nenhum dos competidores conseguiu cumprir com os requisitos da prova.  Os levando assim, para a prova de eliminação que teve como tema a culinária coreana.

O Chef Paulo Shin, premiado como Chef do Ano pelo Prêmio Veja Comer & Beber, foi convidado para apresentar a cozinha em ascensão. Passando pelos banchan, kimchi e bulgogui, o prato escolhido para reprodução, foi o Dolsot Bibimbap. A versão do bibimbap, feita em panela de pedra. Que surpreendeu e desafiou os cozinheiros, ainda inexperientes com a culinária coreana. A reprodução mais aproximada da original, em textura, sabor e apresentação, venceria a prova. Enquanto a menos satisfatória, levaria à eliminação no MasterChef Brasil.

Para o prato que exigia atenção especial no preparo de cada ingrediente e harmonização completa dos sabores, foi dada 1h de execução. Mas outros três elementos também foram decisivos. Ou seja, a temperatura da panela de pedra, o uso da pasta de pimenta e do óleo de gergelim.

MÃO NA MASSA

Muita tensão e entusiasmo tomou conta dos cozinheiros profissionais do MasterChef Brasil. Após as reproduções do Dolsot Bibimbap serem apresentadas, os jurados degustaram um a um. Para Paulo Shin, as versões seguiram um padrão e estavam corretas, porém, pecaram nos detalhes. “Faltou tempero, talvez por falta de familiaridade. Nenhum arroz passou do ponto, porém alguns não tostaram. Mas de modo geral, estavam corretos.” acrescentou o chefe.

Levando em consideração esses fatores, aquele que mais se aproximou da proposta de reprodução, foi André Pionteke. Que além de subir para o mezanino, acumulou R$1.000 no cartão Carrefour. Já a reprodução que menos se aproximou do prato original, foi a de Roberta Magro. Que foi então, eliminada do MasterChef Brasil – Profissionais.

Assista aqui a prova na íntegra: Parte 1 e Parte 2.

avatar
About Barbara Brisa

Editora de conteúdo (Brasília) - Socióloga e pesquisadora sobre cultura e tradição coreana.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.