Jongmyo

Imagem: english.visitkorea.or.kr/

No primeiro domingo de maio, o santuário de Jongmyo em Seul, realiza o evento anual de recriação dos ritos ancestrais em honra dos antepassados reais. Como este evento ocorre apenas uma vez no ano, conheça os detalhes desta celebração.

O santuário de Jongmyo em Seul é o mais antigo e autêntico dos santuários reais confucianos que foram preservados. Consagrado aos antepassados da dinastia Joseon, tem atualmente o aspecto que tinha no século XVI e abriga os livros sagrados que registram os ensinamentos da família real. As cerimônias rituais que unem música, canto e dança acontecem uma vez por ano, perpetuando uma tradição que vem desde o século XIV.

Jongmyo foi designado Patrimonio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1995 (Para mais informações sobre o local, clique AQUI).

Jongmyodaeje é um ritual ancestral real realizado para homenagear os últimos reis e rainhas da dinastia Joseon e para desejar a paz e prosperidade do país e seu povo. O ritual é conhecido por sua variedade solene e majestosa de apresentações de música, e foi designado como Patrimonio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2001. Ele tem grande valor histórico e musical, devido à sua raridade como um conjunto refinado de rituais ancestrais.

Considerado o evento mais importante do estado durante a Dinastia Joseon, sua encenação anual é realizada para continuar esta tradição. Hoje, a grandeza desta cerimônia especial tem atraído a atenção de moradores e turistas. O ritual é composto por duas partes principais chamados Jongmyo Jaeryeak e Jongmyo Jaerye, que são realizados na ordem: saudações, oferendas e despedida dos espíritos.

O rito de Jongmyo daeje foi fixado em sua forma atual em escritos do século XV que definem a ordem da cerimônia: durante o rito, os sacerdotes, vestidos em traje ritual com uma coroa para o rei e diademas para os outros, fazem oferendas de alimentos e de vinho em vasos rituais. A música (gongos, sinos, alaúdes, cítaras, flautas) e dança (realizada por 64 bailarinos em 8 linhas) apresenta uma alternância das forças do Ying e Yang, tal como estabelecido nos textos de Confúcio. A dança Mumun, acompanhada pela música harmoniosa e calmante de Botaepyeong, representa as realizações dos reis e a força de Yang, simbolizado pelo primeiro passo na dança que é sempre para a esquerda. Mumu, a dança militar, acompanhado por Jeongdaeeop, uma música em um modo mais ritmado e representa a força  Ying, simbolizado pelo primeiro passo na dança que é sempre para a direita.

A Comissão responsável por reviver os ritos tem realizado constantes pesquisas, como o estudo e restauração dos trajes, adereços, partituras e instrumentos musicais, em conjunto com o Centro Coreano de Artes Dramáticas Tradicionais e o Colégio Nacional de Música, que já oferecem treinamento em práticas rituais.

Assista a explicação de toda a cerimonia no especial da UNESCO  (ingles)

Fontes: wikipedia, UNESCO e Visit Korea

avatar
About Alcina Knabben

Editora Executiva (Florianópolis - SC) - professora universitária, mestre em administração, apaixonada pela Coréia (negócios, maquiagem, comidas e TV) tem se dedicado a importação e a divulgação da cultura coreana.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.